Tecnologias e modelos preditivos na segurança do trabalho

No âmbito da segurança do trabalho, a tecnologia se desenvolve no sentido das próprias máquinas conectadas serem capazes de sinalizar quando for necessária qualquer intervenção. Isso será possível graças às análises dos dados históricos e ao uso de técnicas estatísticas para prever possíveis falhas. Este processo é conhecido como manutenção preditiva industrial, a qual possibilita fazer manutenção antes de um defeito acontecer, evitando assim, possíveis acidentes e gastos desnecessários na produção. Essa capacidade de conectar máquinas de trabalho, meios de transporte, wearables devices e até mesmo meio de transporte se conectarem via web é conhecido como internet das coisas (Internet of Things- IoT). Por meio da IoT além de controlar os objetos de forma virtual, é possível conectar informações de forma remota, atuando assim, como um ponto de acesso físico à internet.

Essa transformação tecnológica proporciona uma mudança no papel dos técnicos, uma melhora na eficiência do serviço e um reforço na segurança tecnológica. A manutenção preditiva chega como uma forma de revolucionar o serviço em campo, já que a IoT melhora a eficiência na solução de problemas ao incorporar dispositivos inteligentes no campo, enviar sinais de serviço e registrar dados de desempenho em tempo real. Assim, é possível que as máquinas informem os técnicos sobre as ocorrências, facilitando o diagnóstico e a resolução de problemas antes que aconteçam.

Isso acontece porque a IoT permite fazer um monitoramento wireless para enviar ou receber informações que podem servir tanto para prevenção de acidente de trabalho, quanto na ação de emergência caso ele ocorra. Um coordenador de equipe pode saber, por exemplo, onde está cada colaborador em tempo real. Deste modo, caso ocorra um acidente será possível saber onde estão todos os funcionários e conferir se todos realmente se deslocaram ao ponto de resgate. Ou ainda, se existem colaboradores perdidos, imóveis, presos ou acidentados em determinadas áreas, direcionando assim um socorro mais eficiente aos locais críticos.

Na indústria da construção, por exemplo, a forma de planejamento tradicional poderá ser substituída, por processos de automação, que tem por objetivo facilitar a integração de equipamentos por meio de robôs, que no futuro devem se tornar baratos e com interfaces de fácil uso, capazes de trabalhar juntamente com operários e auxiliar na segurança dos mesmos. Um exemplo de modelagem preditiva que possibilita revolucionar esse tipo de indústria é o “glue logic”. O “glue logic” comunica dados com diversos agentes para geração de novos dados de forma eficiente. Quando um objeto com chip, operário ou máquina, passa por um local de monitoramento, é determinado de que se trata, o momento e o estado de operação que se encontra. A partir destas informações, o sistema irá gerar um evento e uma corrente de ações, caso nessa corrente de ações haja alguma situação de risco, ocorrerá a notificação de todo que possam estar envolvidos, possibilitando assim uma ação mais precisa e eficiente.

Em diálogo com a temática Tecnologias e modelos preditivos na segurança do trabalho, o Centro de Inovação SESI em tecnologias para saúde, desenvolveu a solução SEIF – Segurança, Informação e Formação – plataforma de monitoramento e gestão de segurança no trabalho, permitindo que gestores, equipes e responsáveis pela segurança acompanhem em tempo real o status de segurança dos trabalhadores em campo, bem como verifiquem o cumprimento das legislações de SST vigentes, evitando e prevenindo acidentes, multas e eventuais reclamações trabalhistas.

Além disso, não deixe de visitar a página das Redes de Saúde Corporativa para ficar atualizado sobre as principais inovações em saúde, segurança e bem-estar no trabalho: http://redesaudecorporativa.com.br.

 

 

(Visited 139 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *