Uma nova abordagem da Ergonomia em projetos de situações de trabalho

O termo ergonomia é comumente aplicado à Análise Ergonômica do Trabalho, em diagnósticos de riscos e a ações corretivas, situações estas que estão associadas ao atendimento de demandas legais. Essa abordagem corretiva, tem se mostrado pouco efetiva e trazido resultados limitados para a indústria, refletindo nos impactos negativos para a saúde do trabalhador e nos elevados índices de absenteísmos, fatos descritos pelas estatísticas da Previdência Social e do Ministério do Trabalho.

A complexidade envolvida para se corrigir processos de produção já estabelecidos encontra-se nos elevados custos da correção do ambiente físico (máquinas, equipamentos e ferramental), nas perdas devido ao impacto na produção e nas horas perdidas para realização das correções. Apesar disso, é comum que as estações de trabalho industriais sejam “construídas” ao invés de projetadas. Com isso, os riscos são identificados somente após o estabelecimento da produção. Essa abordagem, centrada na máquina,  não considera o trabalhador.

Dessa forma, parece óbvio que projetar e planejar o processo produtivo seria a melhor maneira de eliminar os riscos. Com este objetivo o Centro de Inovação SESI em Ergonomia, desenvolveu uma solução: o Método Participativo para Ergonomia de Concepção. A proposta do método é projetar uma nova situação de trabalho a partir de processo colaborativo que permita o compartilhamento de conhecimento entre profissionais de diferentes competências e favorece a superação de resistências. O método permite a antecipação de riscos por meio de ações participativas que alimentarão a simulação do projeto de melhorias e/ou de novas situações de trabalho  por meio de tecnologia virtual.

A vantagem deste método é o desenvolvimento de um projeto eficiente e ergonômico aliado a um processo de aprendizagem coletiva. Além disso, permite registros e documentos que resguardam, legalmente, as ações desenvolvidas.

Como consequência, por meio do controle dos riscos ergonômicos, a indústria se beneficia com a redução dos custos com adoecimento, de despesas com correções de processo de trabalho e do risco de acidentes. Por outro lado, há aumento da produtividade e da satisfação dos trabalhadores tanto pela participação ativa no processo, quanto pelo estabelecimento de melhores condições de trabalho.

Em diálogo com a temática Ergonomia da Concepção, o Centro de Inovação SESI em Ergonomia, desenvolveu a solução – Método participativo para ergonomia de concepção.

Conheça mais sobre esta solução, por meio da Plataforma Nacional de soluções SESI – http://inovacaosesi.org.br/solucao/metodo-participativo-para-ergonomia-de-concepcao-mpec/  

(Visited 50 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *