Quebre os maus hábitos com uma lista de verificação simples

Quando estamos começando uma nova meta, estamos cheios de energia e entusiasmo. Nós ansiosamente fazemos mudanças e damos passos em nossa nova direção nas primeiras semanas. Mas com o passar do tempo, a novidade desaparece. Nossa energia é drenada e perdemos de vista nosso objetivo. Por fim, voltamos ao status quo.

Não importa quão sofisticadas sejam suas estratégias para se livrar de maus hábitos e criar boas, você terá menos chances de sucesso se não acompanhar e revisar seu progresso com frequência. Observar suas melhorias a cada dia incentiva você a continuar. E identificando onde você está aquém, você notará padrões e fará ajustes, assim você não se sentirá preso a hábitos que não são naturais ou que não estão produzindo mudanças reais.

Considere o exemplo de Yi-Min, chefe de equipe de um CEO de uma empresa de tecnologia. Os colegas de Yi-Min pensaram que ele era um ouvinte pobre que microgerenciava e não respeitava o tempo dos outros. Seu chefe queria que ele trabalhasse em ser mais atencioso e empoderar os outros. Depois de receber um feedback particularmente pungente de um colega que confirmou o que seu chefe havia compartilhado, Yi-Min prometeu ser um líder melhor. Juntos, elaboramos um plano para ajudar Yi-Min a alcançar seus objetivos.

Yi-Min começou criando três metas, uma para cada área de feedback negativo que ele recebeu. Ele pretendia ouvir melhor, reduzir o microgerenciamento e valorizar o tempo dos outros. Embora esses objetivos fossem ambiciosos e louváveis, eles não eram mensuráveis. Precisávamos identificar maneiras para ele melhorar o que ele poderia monitorar e rastrear. Aqui está o que nós inventamos:

  • Ouça melhor. Participe de uma reunião por dia sem dispositivos.
  • Micromanage menos.  Use a   técnica de discagem de delegação durante reuniões individuais com sua equipe para liberar seu controle e capacitá-los para assumir novas responsabilidades.
  • Avalie o tempo dos outros.  Limite mensagens instantâneas para dois por dia entre todos os colegas.

Note que para cada meta, ele escolheu apenas uma pequena tarefa. Assumir grandes tarefas, ou muitas tarefas ao mesmo tempo, nos sobrecarrega. Você tem mais chances de seguir adiante se a tarefa for pequena. Uma vez bem sucedido, você pode tentar uma nova atividade ou aumentar a complexidade da tarefa original. Por exemplo, para ouvir melhor, Yi-Min poderia ter deixado todos os dispositivos para trás para cada reunião, mas isso seria uma mudança difícil de fazer. Em vez disso, ele começou com uma reunião por dia. A partir daí, ele foi capaz de decidir se aumentaria o número de reuniões sem dispositivos ou consideraria outra atividade que poderia ajudá-lo a ser um melhor ouvinte.

Uma vez que ele identificasse suas tarefas, teria sido fácil para Yi-Min seguir em frente com seu trabalho diário, com um plano para executar cada uma delas. Mas isso teria sido um erro. Ele provavelmente teria começado forte, mas lentamente perdeu sua dedicação, distraído com as tarefas diárias e voltando aos seus velhos hábitos. Em vez disso, Yi-Min precisava monitorar proativamente seu progresso diário.

Recomendo usar um gráfico de acompanhamento simples chamado “Lista sim” para ajudá-lo a ver onde você está progredindo em relação à mudança e onde pode estar aquém do esperado. Se você está gemendo com o pensamento de um exercício diário, não se preocupe; Isso não levará mais do que dois minutos por dia.

Basta acompanhar se você realizou cada hábito diariamente em uma lista de verificação, usando Y para sim e N para não. Por exemplo, veja a lista de Yi-Min abaixo:

 

Fixar sua lista de sim em seu dispositivo ou como uma cópia impressa em algum lugar que  permita você vê-lo regularmente e criar um lembrete diário para preenchê-lo no final do dia. Acompanhar seus resultados permite que você veja o progresso com uma rápida olhada. A maioria das pessoas obtém uma sensação de realização, uma vez que calculam os Y e os N no final do dia.

Após várias semanas de acompanhamento de seus hábitos, avalie se há algum padrão que precise ser ajustado. Ao fazer isso, você vê seus sucessos – e os erros – e ajuda você a identificar o que pode estar causando problemas.

Por exemplo, quando Yi-Min  revisou seus padrões, ele descobriu que não conseguiu delegar apropriadamente às segundas-feiras. Ele percebeu que era porque, no começo de cada semana, ele se encontrava com o único funcionário que era um mau desempenho . Yi-Min tinha medo de delegar a esse funcionário porque temia receber trabalho ruim em troca. Uma vez que ele entendeu isso, ele teve uma conversa muito diferente durante o seu próximo one-on-one. Ele deu mais feedback direto ao invés de indiretamente assumir o trabalho do empregado. Se ele não tivesse percebido a tendência, ele talvez nunca tenha abordado a verdadeira razão por trás de seus desafios ao delegar.

Revendo seus padrões também permitiu que Yi-Min reconhecesse quando estava pronto para introduzir outro hábito que visava atingir seu objetivo. Depois de praticar com uma reunião por dia, a Yi-Min aumentou lentamente o número de reuniões sem aparelhos a que assistiu até que, quatro meses depois, ele não usava mais aparelhos em reuniões. Ele até parou de rastrear suas reuniões livres de dispositivos porque tinha se tornado hábito com sucesso. Ele agora tinha energia e foco para lidar com um novo hábito. Yi-Min substituiu o antigo no gráfico pelo seguinte em seu objetivo de ser um melhor ouvinte: parafraseando o que ouvia pelo menos uma vez por dia. Ele continuou o padrão de criar um hábito e adicionar um novo para cada um dos seus três objetivos. Um ano depois, a equipe de Yi-Min considera-o um ouvinte mais forte, um colaborador atento e um gerente capacitador.

Você pode definir metas para alcançar seus sonhos ou melhorar seu comportamento, mas sem maneiras práticas de seguir em frente e de medir o progresso, você voltará aos seus maus hábitos mais uma vez. Aproveite o tempo para identificar como atingir suas metas, começando com pequenas etapas e anote suas melhorias. Muito em breve, você pode descobrir que desenvolveu alguns novos hábitos de trabalho positivos.

Fonte: Harvard Business Review// Autor (a): Sabina Nawaz // Tradução: Rede Saúde Corporativa

 

(Visited 95 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *