CIS discutem economia para Saúde e Segurança em Fortaleza

O Centro de Inovação SESI em Economia para Saúde e Segurança do Trabalho, capitaneado pelo SESI Ceará, reuniu representantes de Centros de Inovação de outros estados para discutir a forma como indústrias do Brasil inteiro lidam com seus custos na área de SST. O encontro foi aberto pela Superintendente do SESI Ceará, Veridiana Grotti, que falou da importância da cooperação entre os centros do País. “O SESI está apostando fortemente na inovação. Hoje, temos concorrentes nos mais diversos serviços, e o que os Centros de Inovação estão criando são ferramentas novas de muito valor agregado que podem impactar fortemente o resultado dos clientes”, disse.

Ao unir conhecimento e tecnologia, e debruçando-se sobre os dados das empresas, o Centro de Inovação cearense está criando ferramentas capazes de mudar a forma como os gestores lidam com os números de Saúde e Segurança. Na ocasião, os participantes puderam conhecer os serviços ofertados pelo CIS, criando intercessões com suas realidades e propondo melhorias.

Entre as experiências compartilhadas, a ferramenta de análise da sinistralidade da saúde suplementar chamou a atenção dos presentes. A partir do banco de dados das empresas, o SESI faz uma análise que auxilia as empresas no momento da negociação anual de reajuste do plano de saúde. As informações também podem subsidiar as indústrias na tomada de decisão sobre as ações de saúde ocupacional, direcionando esforços para os principais problemas tratados pelos seus colaboradores no ano anterior. “Toda a análise estatística é feita de forma criteriosa, mostrando, inclusive, projeções para anos seguintes. Tivemos clientes que devem economizar mais de R$1 milhão se executarem o que recomendamos”, explica o médico do trabalho do CIS, Cláudio Patrício.

Ana Lívia Castro, estatística do Centro, apresentou resultados da aplicação de outra ferramenta criada pelo CIS: o Perfil Epidemiológico de Saúde. Nela, os colaboradores respondem perguntas ligadas à alimentação, estilo de vida, exercícios, alimentação, etc, gerando dados para que as empresas conheçam os principais desafios enfrentados por suas equipes com relação a saúde e qualidade de vida.

Na oportunidade, os participantes conheceram o case da empresa Domeneghetti & Partners Business Solutions, sobre a ferramenta de gestão dos ativos intangíveis em saúde (VOI); e debateram os temas “Gestão de indicadores através de sistemas integradores” e “Fatores que impactam a produtividade na construção civil”

Conheça mais sobre os produtos do CIS:

Consultoria para redução dos custos com saúde e segurança: assessoria a empresas para avaliação do retorno de investimento em saúde e segurança e análise de valor agregado, com recomendação de ações e desenvolvimento de indicadores para diagnóstico e utilização de calculadora de gestão de custos.

Workshop sobre gestão de custos da saúde e segurança: disponível na modalidade in company, com cursos customizados para empresas, com duração de 72h, voltados para executivos e líderes, sobre temas relacionados a custos em saúde e construção de plano de ação; ou na modalidade open workshop, com um curso de duração de 4h, ministrados nas dependências do SESI, com conteúdos divididos por relevância para grupos setoriais da indústria.

Fonte: Sistema FIEC

(Visited 33 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *