SESI lança Centro de Inovação em Estilo de Vida e Saúde

Nas últimas duas décadas, as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) se tornaram a principal causa de morte em todo o mundo, sendo que as quatro principais patologias (doença cardiovascular, câncer, doença obstrutiva pulmonar crônica e diabete) são responsáveis por mais de 60% de todos os óbitos (Gaziano & Pagidipati, 2013).

Segundo a OMS, 80% das doenças coronarianas, diabetes tipo 2 e derrames, seriam eliminados, se os principais fatores de risco como tabagismo, alimentação não saudável, inatividade física, estresse, obesidade e consumo excessivo de álcool não existissem. Ao propor que o enfrentamento das DCNT enfocasse prioritariamente as quatro doenças, a Organização Mundial da Saúde elegeu também como alvo seus quatro principais fatores de risco – fumo, inatividade física, alimentação inadequada e uso prejudicial do álcool que são comuns no Brasil (WHO, 2008, Duncan et al., 2012).

Fatores como o envelhecimento da população, hábitos e estilo de vida e além da crescente urbanização contribuem para o aumento dos fatores de risco para DCNT.

Ainda, no Brasil, as transformações epidemiológicas, demográficas, nutricionais impactam em 38,8% dos anos perdidos por incapacidades ou morte precoce (Disability Adjusted Life Years – DALYs), sendo que a dieta inadequada lidera o ranking de Fatores de Riscos para DCNT – Brasil e UF (MALTA, et al, 2015).

A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) (Brasil, 2014) também traçou um perfil de vários fatores associados ao estilo de vida do brasileiro, as quais são informações preciosas para o planejamento de programas em nosso país.

 Destacamos alguns fatores relevantes relacionados ao estilo de vida:

Alimentação – o percentual de pessoas de 18 anos ou mais de idade que consumiam cinco porções diárias de frutas e hortaliças foi de 37,3%. A proporção de pessoas que referiram consumo de carne ou frango com excesso de gordura foi 37,2%, Foi considerado consumo regular de refrigerante quando o morador referiu beber refrigerante ou sucos artificiais em pelo menos cinco dias da semana. No Brasil, quase ¼ (23,4%) das pessoas de 18 anos ou mais de idade consumiam regularmente refrigerantes, sendo o hábito mais frequente entre os homens (26,6%) do que entre as mulheres (20,5%).

Atividade física – As oportunidades para indivíduos adultos serem fisicamente ativos podem ser classificadas em quatro domínios: no lazer (no tempo livre), no trabalho, no deslocamento e no âmbito das atividades domésticas. No Brasil, 27,1% dos homens com 18 anos ou mais praticavam o nível recomendado de atividade física no lazer, enquanto para as mulheres este percentual ainda foi de 18,4%. A média brasileira foi de 22,5% incluindo a área urbana e rural do país.

O Centro de Inovação SESI em Estilo de Vida e Saúde, coordenado pelo SESI São Paulo, desenvolverá soluções inovadoras para o controle dos fatores de risco relacionados às Doenças crônicas não transmissíveis – DCNTs, focado na promoção da alimentação saudável e da atividade física, alinhada às estratégias do setor industrial brasileiro. 

O lançamento, a realizar-se no dia 04/12, contará com especialistas que discutirão a problemática supracitada, como por exemplo, Paulo Lotufo da Faculdade de Medicina da USP, que fará uma apresentação da epidemiologia dos fatores de risco para DCNT, com especial ênfase para pesquisas de saúde populacional, tais coimo ELSA BR, mas também falando da Vigitel e PNS.

Maria Edna de Melo da ABESO-FMUSP discorrerá sobre Estratégias para o enfrentamento da obesidade. Em seguida o Douglas Andrade, professor da EACH USP falará sobre as abordagens com relação à atividade física. A nutricionista Fernanda Timerman abordará a alimentação, particularmente sobre o aspecto da nutrição comportamental.

Nesse contexto, o Centro de Inovação SESI em Estilo de Vida e Saúde apresentará seu propósito, linhas de pesquisas, bem como sua perspectiva de atuação.

Acesse inovacaosesi.org.br e conheça as soluções desenvolvidas pelos Centros de Inovação SESI. Se sua empresa tem um desafio em SST, entre em contato conosco e nos encaminhe.

Contato do CIS – Estilo de Vida e Saúde:

cis@sesisp.org.br

11-31467396 – Ramal 7396

(Visited 114 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *